29/07/2019

Vale a pena investir em um imóvel como aposentadoria?


Investir na compra de um imóvel é uma boa opção de renda alternativa, pensando na aposentadoria?

Essa é uma pergunta muito interessante, considerando que a grande maioria dos investidores ainda possui dúvidas sobre o investimento em um imóvel como alternativa para renda futura. Claro que é interessante investir na compra de um imóvel, mas se o objetivo for apenas a obtenção de uma renda passiva, deve-se considerar alguns aspectos dessa decisão. Ao comprar um imóvel você começará a receber a renda com o aluguel após ter um locatário, durante o período em que o imóvel estiver desocupado não haverá renda e ainda terá que assumir custos mensais como condomínio, IPTU e outros. Se o imóvel tiver uma boa localização e uma perspectiva de valorização, o ganho real dessa decisão será ainda melhor, mas claro que estamos considerando fatores externos, que não dependem da nossa vontade. Por outro lado, se  ao contrário de comprar um imóvel a decisão fosse por aplicar o dinheiro no sistema financeiro, escolhendo um fundo de médio prazo, com liquidez média, por exemplo, seria uma boa opção, pois reúne baixo risco e uma rentabilidade razoável, de aproximadamente 1% ao mês. Dessa forma estaria garantindo retorno mensal sem o risco de ficar sem a renda por falta de inquilino, além de estar  auferindo um ganho maior do que com o aluguel. Esse resultado pode ser melhorado se o investidor tiver um perfil mais arrojado, podendo trabalhar com fundos imobiliários que, além do ganho pela valorização dos papeis, pagam dividendos mensais que podem ser superiores a 1%, melhorando ainda mais o resultado para o investidor. 

Tenho R$ 100 para investir por mês. Que aplicação você aconselha?

Temos atualmente uma infinidade de opções de investimento, tanto para quem tem um perfil mais conservador quanto para os mais arrojados. O ponto central de análise é a rentabilidade. À medida em que o valor investido vai aumentando, é possível conseguir produtos com melhor rentabilidade, mas não significa que os investidores que querem iniciar com valores menores não tenham opção. Com o valor que tem disponível, é possível investir no Tesouro Direto, por exemplo, comprando fração de Títulos Públicos com uma rentabilidade um pouco melhor que a Caderneta de Poupança e assim aumentar gradativamente seu patrimônio para poder investir em papeis com mais rentabilidade no futuro.

Quero investir, mas sem perder dinheiro. Como posso me proteger e buscar uma aplicação simples de administrar, mas que me dê uma boa rentabilidade? 

Uma das principais premissas do mercado financeiro é a relação risco x retorno. Quanto maior for o retorno oferecido por determinado produto, o risco envolvido também aumenta. Opções de investimento com risco moderado são os produtos de renda fixa, como a Caderneta de Poupança, que rende muito pouco, além dos títulos públicos, que têm uma rentabilidade maior, mas ainda assim baixa para quem quer melhorar o acúmulo patrimonial. Uma alternativa intermediária, entre o pleno conservadorismo dos títulos públicos e a volatilidade das ações, estão os fundos de investimento, tanto os Multimercados quanto os  Imobiliários. Este último, com boas opções de rentabilidade, mas com um nível de risco mais elevado em relação à renda fixa, contudo, é um produto fácil de administrar e que a volatilidade é bem menor que ações ou fundo de ações. O importante é definir qual seu perfil de investidor e como suas aplicações se integram ao seu planejamento de vida. Não há uma fórmula mágica. Tudo passa por uma análise cuidadosa do perfil, dos projetos de vida e potencial de investimento. Tudo isso junto colabora com a realização de um bom planejamento e uma orientação assertiva de que carteira de investimento montar. 

Por Edísio Freire

Fonte: Correio 


Compartilhe: