06/08/2019

Veja quanto tempo falta para ter aposentadoria por idade integral!


É necessário completar 30 anos de contribuição antes de a reforma da Previdência entrar em vigor.

Os segurados que já passaram dos 60 anos podem estar próximos dos requisitos da aposentadoria por idade. Para os homens, a idade mínima para ter esse benefício é de 65 anos.

Na reforma da Previdência, as exigências para essa aposentadoria são as que menos terão mudanças na comparação com as regras atuais. O impacto maior será no cálculo do benefício.

O valor mínimo, que hoje parte de 85% da média dos salários para quem tem 15 anos de contribuição, passará a ser de 60% dessa média. Atualmente, a partir do 16º ano de contribuição, há um incremento de 1% para cada ano a mais de pagamentos ao INSS de modo que, hoje, o segurado ganha a aposentadoria integral quando completa 30 anos de recolhimentos.

Quando as novas regras entrarem em vigor, as mulheres passarão a precisar de 35 anos de contribuição para ter o benefício integral. Já os homens necessitarão de 40 anos. No entanto, para eles, se já forem filiados ao INSS quando a reforma começar a valer, também será possível ter a aposentadoria integral ao somar 35 anos de recolhimentos.

Um detalhe importante da regra atual é que o INSS só usa os anos completos no cálculo do benefício por idade. A legislação prevê grupos de 12 contribuições. Se tiver, por exemplo, 27 anos e oito meses, o segurado deve considerar fazer o pagamento dos quatro meses de contribuição que faltam para fechar mais um ano.

REGRAS DO INSS – BENEFÍCIO DE QUEM CONTRIBUIU MENOS

A aposentadoria por idade é a mais concedida pelo INSS. Isso ocorre, principalmente, porque muitos segurados não conseguem acumular o tempo mínimo para o benefício por tempo de contribuição. Nesse tipo de concessão, o INSS exige menos pagamentos.

Quem consegue a aposentadoria por idade hoje:

Mulheres: aos 60 anos de idade, com 15 anos de contribuição, no mínimo.

Homens: aos 65 anos de idade, com 15 anos de contribuição, no mínimo.

Como é o cálculo:

O INSS faz a média dos 80% maiores salários, depois é aplicado um redutor de 70% e cada ano extra de contribuição ajuda a aumentar o valor.

O benefício será:

70% da média salarial + 1% para cada ano de contribuição.

Para quem tem as contribuições mínimas:

70 + 15 = 85% (percentual mínimo sobre a média salarial).

ATENÇÃO!

Na regra da aposentadoria por idade, o INSS só considera grupos de 12 contribuições, portanto, se o segurado tiver 16 anos e sete meses, o instituto só vai usar os 16 anos.

Veja abaixo quanto é possível ganhar (hoje) com cada ano extra de contribuição:

O que muda com a reforma?

O governo quer acabar com a diferença nos tipos de aposentadoria. Com a promulgação da PEC (Proposta de Emenda à Constituição), passará a existir uma regra geral, na qual os segurados precisam ter:

Mulheres: 62 anos de idade e 15 de contribuição.

Homens: 65 anos de idade e 20 anos de contribuição.

Novo cálculo: há duas mudanças:

1) Média salarial: passa a ser calculada com 100% dos salários a partir de julho de 1994.

2) Definição do benefício: o valor parte de 60% da média salarial. Há um acréscimo de 1% para cada ano de contribuição que passar de: 15 anos, no caso das mulheres e 20 anos no caso dos homens.

Regras de transição: a nova exigência não será imediata. Para quem já está na ativa, haverá um período de adaptação. No caso dessa aposentadoria, o tempo mínimo para as mulheres subirá seis meses até chegar aos 62 anos de idade e no caso dos homens, a idade mínima será mantida nos 65 anos atuais.

Fonte: Agora


Compartilhe: