23/11/2018

Black Friday: pesquisa revela que brasileiro deve gastar, em média, R$ 1.145,75


Uma pesquisa feita pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) revelou que, neste ano, 58% dos entrevistados pretendem fazer compras na Black Friday, o que dá quase seis em cada dez consumidores brasileiros. O crescimento em relação ao ano passado, portanto, deve ser de 18%. A pretensão média de gasto total com a queima de estoques chega a R$ 1.145,75.

O levantamento foi feito de 17 a 27 de outubro de 2018, com 966 consumidores de todas as capitais brasileiras, homens e mulheres, com idade igual ou maior a 18 anos, de todas as classes sociais.

Entre motivos para fazer compras, 70% dos que pretendem gastar nesta sexta-feira alegam ser um bom momento para adquirir os produtos de que necessitam, a preços mais baixos. Outros 30% querem antecipar as compras dos presentes de Natal.

Ainda de acordo com a pesquisa, o consumidor deve adquirir, em média, três produtos. Os itens mais visados são: roupas (38%), calçados (32%) e celulares/smartphones (30%).

Além disso, entre os que já consumiram na Black Friday do ano passado, 34% querem repetir a dose este ano, 28% planejam comprar menos, e 20% a mesma quantidade.

Além disso, 32% pretendem gastar mais, 32% desembolsar menos, e 24% dispensar o mesmo valor de 2017.

Onde comprar

Quando ao assunto é onde comprar, 66% dizem que vão consultar sites e aplicativos de lojas varejistas nacionais, 39% vão procurar shopping centers, lojas de rua e/ou supermercados, e 24% vão buscar páginas virtuais e/ou apps de compra e venda de produtos novos ou usados.

Nas compras on-line, 41% vão preferir usar ferramentas nas quais já tenham feito compras anteriormente, 31% darão preferência às que oferecem frete grátis, e 28% procurarão páginas e aplicativos de lojas e marcas conhecidas.

Além disso, a maioria (95% dos entrevistados) faz pesquisa de preços antes de comprar. E a expectativa dos consumidores para este ano é de que haja um desconto médio de 45% nos produtos e nos serviços ofertados na Black Friday 2018.

Vale tudo por uma promoção

Segundo o levantamento, 44% dos consumidores deverão passar a madrugada na internet para garantir boas compras. Além disso, 64% dos que trabalham querem se manter conectados durante o expediente para não perder as ofertas.

Medo de fraudes

Considerando os consumidores entrevistados que têm intenção de comprar na Black Friday, 64% têm medo de ser alvo de fraudes, com roubo de dados bancários ou clonagem de cartões. Além disso, 87% costumam buscar informações sobre a reputação das lojas participantes.

Como pagar

Do total de consumidores interessados nas compras, a forma de pagamento mais utilizada será a prazo, modalidade citada por 68% dos entrevistados, sobretudo no cartão de crédito parcelado (49%).

No caso de parcelamentos, o levantamento mostra que a média de pagamento deve ser de 5,83 meses.

Entre os que não vão aproveitar as ofertas

Considerando os que não vão aproveitar a queima de estoques, 28% disseram estar sem dinheiro, 22% afirmaram não precisar de nada no momento, e 16% declararam ter outras prioridades agora.

Efeito da campanha de 2017

De acordo com os entrevistados pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), 89% dos consumidores que compraram na Black Friday do ano passado encontraram ofertas reais; 36% fizeram compras por impulso e 11% ficaram com o nome sujo na praça.

Fonte: Jornal EXTRA


Compartilhe: