28/06/2018

Tetraplégico há 24 anos fica sem aposentadoria do INSS por 18 dias após não passar por perícia


Em outro caso, homem não encontra data para marcar perícia e culpa os horários reduzidos de atendimento por conta dos jogos do Brasil na Copa.


Um morador de Piracicaba (SP) que ficou tetraplégico há 24 anos após um acidente de carro teve a aposentadoria por invalidez suspensa pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) após não passar por perícia de pente-fino. A dona de casa Ana Macedo, que cuida do filho, chamado Nilton César de Castro, afirma que ficou sabendo da suspensão ao ir sacar o dinheiro. O valor foi depositado nesta terça-feira (25).

Nilton, atualmente com 43 anos, recebe a aposentadoria por invalidez de R$ 1.170 em todo quinto dia útil. "Há 24 anos é dia e noite dando banho, fazendo o exercício dele, alimentando ele, carregando, vendo se eu faço ele dar uns passinhos para não ficar atrofiado, mas eu já não estou aguentando mais".

Ao perceber que a conta estava sem o dinheiro, Ana foi informada que o filho deveria passar pela perícia. Ela agendou, levou o filho e, 15 dias depois, o dinheiro voltou a ser depositado. "Faz muita falta, faz muito falta. É regadinho", disse a dona de casa.

Em outro caso, o aposentado Alessandro Bau afirma que tenta marcar há dias uma perícia, mas não consegue. Segundo ele, o que tem prejudicado é o reagendamento das perícias marcadas para dias em que o Brasil disputa jogos da Copa do Mundo. "Vi um cartaz que eu achei absurdo que estava suspenso por causa dos jogos da Copa", disse o homem, que perdeu o movimento das pernas após um acidente de moto.

"Eu não consigo marcar uma perícia, estou correndo o risco de perder a minha aposentadoria porque não tem vaga por causa dos jogos da Copa. Eu acho que é um absurdo o cidadão passar por isso.

INSS

Em nota, o INSS informou que o atendimento em dias de jogos do Brasil é encerrado às 13h quando o jogo ocorre à tarde e é iniciado às 14h quando quando a partida é de manhã. "As agências funcionam normalmente no restante do dia, com a manutenção dos atendimentos agendados".

O INSS determinou remarcação de todos os atendimentos previstos para ocorrer durante o período em que as unidades estarão fechadas. Segundo a assessoria de imprensa, há o pagamento retroativo em casos de reconhecimento do direito a benefícios suspensos.

"[O INSS] Determinou ainda a manutenção da Data de Entrada do Requerimento - ou seja, se houver reconhecimento do direito ao benefício, este será pago retroativamente, de modo a não prejudicar o segurado. Todas essas determinações se referem a todos os tipos de atendimento, não apenas à perícia médica".



Ana cuida do filho paraplégico, Nilton, há 24 anos em Piracicaba (Foto: Reprodução/EPTV)


Fonte: G1


Compartilhe: