07/03/2019

Pode Perguntar: 4 dúvidas sobre contribuição ao INSS em tempos de Reforma da Previdência


Especialista Hilário Bocchi Júnior explica por que não é possível parar de recolher, além de prós e contras da aposentadoria complementar.

O quadro "Pode Perguntar" nunca recebeu tantas dúvidas como tem recebido neste momento de indecisão. Nos últimos dias, fomos às ruas conversar com as pessoas e ficamos surpresos com a falta de informação.

Isso é normal neste momento. Aliás, não tem nada aprovado e até ser tudo votado muitas pessoas continuaram em dúvidas sobre o que fazer.

O que é mais preocupante é que os contribuintes não sabem quando irão se aposentar e muitos querem parar de pagar a Previdência Social.

1. Quando vou me aposentar? 

Esta é a principal dúvida do trabalhador. Até mesmo com as regras que estão valendo, poucos sabem quando irão se aposentar. Para isso eu já preparei um aplicativo para fazer esses cálculos. O www.tempodeservico.com.br. É simples e grátis.

Com as regras que serão aprovadas realmente a dúvida continuará existindo até que elas sejam aprovadas, mas com o projeto da reforma já dá para ter uma ideia.

2. Posso parar de pagar o INSS?

Muita gente está em dúvida quanto à segurança do sistema previdenciário e não têm certeza que ele terá dinheiro para saldar a futura aposentadoria. Por isso pensam em parar de contribuir.

Mas não é bem assim. Quem é empregado, a contribuição é descontada na folha, então não dá para nem pensar em parar de contribuir.

As pessoas que trabalham por conta própria também não podem parar de pagar porque a contribuição é obrigatória e, se não pagar, a Receita Federal pode cobrar. Os juros, correção monetária e multas são altas, então cuidado.

3. Posso pegar o dinheiro que paguei de volta? 

Não, não pode. O sistema previdenciário, exceto na previdência complementar, não permite o resgate das contribuições que já foram feitas. Impossível.

4. Previdência complementar é salvação para ter boa renda no futuro? 

Pode até ser, mas tem muita gente vendendo gato por lebre. E tem gente grande fazendo isso.

Na maioria dos planos de previdência complementar que já analisei acabei orientando o participante a resgatar as contribuições porque o valor que conseguiu ou conseguirá guardar não vai representar uma garantia de renda no futuro.

Fonte: G1


Compartilhe: