13/09/2018

Planejamento Previdenciário: 6 passos importantes para planejar sua aposentadoria


Em matéria publicada pelo site G1, Hilário Bocchi Júnior dá dicas para a aposentadoria não virar um pesadelo, “é preciso identificar quando o trabalhador vai se aposentar e qual valor ele quer receber”.

O sonho da aposentadoria se torna cada vez mais um pesadelo. Para não ficar sonhando com ela, nem ficar tendo o pesadelo de ficar sem ela, o brasileiro precisa acordar. Mas o que fazer nesta hora em que nada está acontecendo? A resposta para esta pergunta é simples: um diagnóstico previdenciário.

Para a garantia de uma aposentadoria saudável, as pessoas precisam se planejar e ter em mente exatamente o que precisarão ter no futuro para manter ou até melhorar o padrão de vida no presente.

 Existe uma receita, um caminho, um passo a passo para a pessoa não errar neste planejamento? A estrada até a aposentadoria não tem volta. Ou você pega o caminho certo ou vai chegar no lugar errado.

O planejamento adequado envolve seis estágios:

1.  Fazer um levantamento de todas as contribuições e contratos de trabalho do passado;

2.  Computar o tempo de serviço e de contribuição;

3.  Observar as carências para cada um dos benefícios previstos pela Previdência Pública e descobrir quando vai se aposentar;

4.  Decidir qual benefício será mais vantajoso;

5.  Definir o valor das futuras contribuições até a data da aposentadoria;

6.  Verificar a necessidade de uma previdência complementar, e qual seria a mais recomendada.

É isto que um diagnóstico previdenciário faz.

- Quais são os tipos de trabalhadores que precisam “acordar” para não ficar longe do sonho da aposentadoria, nem torná-la um pesadelo? Todos que ainda não se aposentaram. Os que trabalham por conta própria, os empregados e o servidor público, quer ele esteja vinculado ao INSS ou a um Instituto Próprio de Previdência.

Mas, quem tem mais risco de errar no planejamento são aqueles que tem que fazer a própria contribuição: os profissionais liberais, empresários e comerciantes.

Muitos desses profissionais não têm sido orientados corretamente sobre como, com quanto, e de que forma devem contribuir. Outros não têm e nunca tiveram qualquer orientação.

- Com tanto desemprego, crise, desconfiança e discussão sobre reformas na Previdência Social, como o trabalhador pode pensar em aposentadoria? Realmente tem muita gente jogando a toalha. Diante de tanta insegurança o contribuinte está deixando para trás este sonho.

Realmente é difícil pensar no futuro quando se tem dificuldade no presente. Tem quem está vendendo o almoço para comprar a janta. O que essas pessoas precisam ouvir é que tem saída. Basta planejar.

- Qual é a saída? A lei tem pelo menos dois instrumentos importantes: a manutenção da carência sem contribuição e a redução da contribuição.

O contribuinte pode ficar sem pagar o INSS de três a 36 meses sem perder direitos. Existem várias regras para isso.

Cerca de 20% de todas as contribuições do período que servirá para calcular a aposentadoria não serão utilizados no cálculo, portanto o trabalhador pode reduzir o valor da contribuição sem prejudicar o valor da aposentadoria e investir esta diferença na previdência complementar (privada), por exemplo. Quase ninguém utiliza as brechas que tem na lei.

- Qual é o primeiro passo que o contribuinte tem que dar para se beneficiar de uma dessas duas dicas? Antes de mais nada, é preciso identificar quando o trabalhador vai se aposentar e qual valor que almeja receber de aposentadoria. 

Sem essas respostas não há como definir a contribuição correta: se pode ficar sem contribuir ou reduzir o valor das contribuições.

No site www.tempodeservico.com.br é possível fazer o cálculo do tempo de serviço, de forma gratuita.

Com essas informações já dá para começar a pensar em previdência e se constatar que a Previdência Pública não vai garantir seu futuro, então é a hora de pensar na Previdência Privada.

Quem já tem uma previdência privada, tem que analisar se não é o momento para aumentar os aportes.

Fonte: G1 – Globo

Veja a íntegra em: https://glo.bo/2wX7nje

Sobre a Aposente-se Bem

Somos uma empresa voltada à consultoria previdenciária. Nosso trabalho se destina a analisar o histórico contributivo dos segurados, fazendo uma projeção do seu futuro previdenciário de modo que possa se aposentar da melhor maneira possível.

Contratando nossos serviços, você terá um estudo detalhado do seu caso, situação em que verificaremos todas as suas contribuições, o tempo faltante para que possa se aposentar, a necessidade ou não de continuar contribuindo – ou de começar a contribuir, os valores corretos e a melhor maneira de investir seu dinheiro. Faremos um planejamento adequado ao seu caso de acordo com todas as informações que nos fornecer e, ao final, lhe daremos a melhor opção de benefício detalhando todos os passos que deverão ser seguidos a partir deste momento.



Compartilhe: